Inteligência Artificial segue no centro das discussões em segundo dia de Febraban Tech

Publicado: 29/06/2023

O segundo dia de Febraban Tech 2023 foi marcado por um movimento mais intenso nos estandes e pela diversidade de assuntos explorados em todos os auditórios do evento. Dois temas, porém, são transversais e foram recorrentes nos painéis: o uso da inteligência artificial e a centralidade no cliente.

Jornada para a maturidade de dados nas organizações

A Inteligência Artificial será um vetor de muitas transformações na área financeira. Mas, para que isso seja possível, é necessário que a organização compreenda qual é a dor de negócio que ela pretende resolver com essa ferramenta, colocando a jornada de maturidade de dados como prioridade para que essa promessa se concretize. Esse foi o tema da talk realizada por Filipe Barretto, Cloud Sales Leader da e-Core, no estande da e-Core/AWS.

Inicialmente, Filipe apresentou casos em que a Inteligência Artificial possibilitou uma transformação relevante para negócios do setor financeiro para além do hype. Um dos casos foi da Cilia, empresa responsável por realizar orçamentos de reparos de carros para seguradoras. Após o gerenciamento da infraestrutura de dados por meio de ambientes cloud realizado pela e-Core, a empresa implementou um processo de orçamento sem a necessidade de ação humana, utilizando um modelo de Inteligência Artificial, o que permitiu um crescimento de 300% na quantidade de reparos apenas um ano depois.

Em seguida, Filipe apresentou o modelo do Gartner para avaliar em que momento da Jornada de Maturidade de Dados cada organização se encontra e alguns passos que podem ser tomados em cada etapa dessa jornada, que começa pelo modelo básico e segue em 5 degraus até chegar no modelo transformacional.

Ao final da talk, Neilton Rocha, CTO da a55, contou como a adoção de uma nova arquitetura baseada na implantação do Well-Architected Framework pela e-Core contribuiu para uma maior eficiência de recursos na nuvem da fintech de Smart Capital.

Neilton Rocha, CTO da a55

CIOs dos bancos: tecnologia, negócios e IA

O primeiro painel do dia trouxe os CIOs dos bancos para uma conversa sobre a tecnologia no centro dos negócios. Edilson Reis, CIO e Diretor-Executivo do Bradesco, contou que essa proximidade entre tecnologia e negócios não apenas é bem-vista, como esperada pelos próprios funcionários do banco.

“Fizemos uma pesquisa interna no banco para saber o que eles esperam da área de tecnologia. As respostas foram agilidade e proximidade com o negócio. E isso se reflete em times multidisciplinares. Eu tenho o prazer de entrar em uma reunião e não saber quem é de tecnologia, de negócio, de experiência, pois estão todos juntos focados em o que fazer para o cliente”, relatou Reis.

Essa sinergia entre as equipes também traz vantagens como mais eficiência na adoção de novas ferramentas e metodologias por diferentes áreas, que utilizam da experiência de outros setores. Foi o que ressaltou Christian Flemming, do BTG Pactual. “Por exemplo, todo nosso esforço de criação de um banco digital voltado para varejo não passou despercebido na área de atacado. Tudo o que fizemos para o varejo foi usado para uma área de wealth management”, disse.

A Inteligência Artificial foi um dos tópicos discutidos pelos CIOs, que foram unânimes em afirmar que a chegada da IA Generativa e a rápida adoção do ChatGPT representam um momento de transformação em grande escala no ecossistema digital.

Ricardo Guerra, CIO do Itaú Unibanco.

“Em toda minha experiência profissional, eu não lembro de ter visto uma inovação em que tanta gente se engajou e solicitou o uso da tecnologia como a IA generativa. Normalmente é o contrário: a gente que precisa convencer as outras áreas para aderirem. Com o ChatGPT, todo mundo conseguiu entender muito rápido a tecnologia e fazer associações de uso. Tenho visto dezenas de cases diferentes sem a gente precisar ir lá e provocar. Mas isso não muda a nossa possibilidade de ir a fundo na tecnologia e propor alternativas de uso que não são tão óbvias”, ressaltou Ricardo Guerra, CIO do Itaú Unibanco.

Apesar de algumas incertezas em relação ao papel que a IA irá exercer a longo prazo no setor financeiro, é possível prever mudanças benéficas não apenas para os clientes e usuários em geral, mas também para os bancos.

Adriana Salgueiro, VP de Tecnologia e Digital da Caixa

“Quanto mais nossos clientes estiverem conectados, digitais e consumindo dados de forma concomitante nesse ecossistema, mais a gente alavanca as possibilidades de uso da IA. Sempre com foco no relacionamento com o cliente e na possibilidade de hiperpersonalização, que ganham uma dimensão enorme para além da fronteira do que estamos acostumados a ofertar de valor para serviços digitais”, disse Adriana Salgueiro, VP de Tecnologia e Digital da Caixa.

Esses foram alguns dos destaques do segundo dia de Febraban Tech 2023. Mas o evento ainda promete muitas oportunidades de negócios, insights e aprendizados com o conteúdo de alto nível apresentado em todos os painéis.Se você estiver no Transamerica Expo Center, venha fazer uma visita à e-Core no estande da AWS e conheça nossas soluções que aceleram resultados de negócio no setor financeiro!

Combinamos experiência global com tecnologias emergentes para ajudar empresas como a sua a criar produtos digitais inovadores, modernizar plataformas de tecnologia e melhorar a eficiência nas operações digitais.

Isso pode te interessar:

Notebook com imagem na tela com o texto Como desbloquear o potencial do seu ITSM com IA Generativa